Relatório sobre a educação brasileira aponta ações necessárias para melhoria

ANÚNCIO

Um relatório da organização Todos pela Educação, divulgado nesta segunda-feira (5), trouxe uma análise a certa da educação municipal no Brasil. O documento oferece indicações aos novos governantes das eleições municipais que acontecem neste ano em todo Brasil. 

Os desafios se estendem pela reabertura das escolas, que em maioria estão fechadas desde o início da pandemia. Outro destaque da escritura é que, de acordo com o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). 

ANÚNCIO

O índice de avaliação as escolas mostrou que o desempenho em quase 1.000 municípios do Estado diminuiu, chegando no pior número dos últimos dois anos.

Relatório sobre a educação brasileira aponta ações necessárias para melhoria
Fonte: (Reprodução/Internet)

Escolas municipais apresentam pequena melhoria 

A pesquisa foi realizada no cenário que apresenta menor arrecadação de impostos, e a previsão de cortes no Ministério da Educação (MEC), que também fornece fundos para educação básica.

Priscila Cruz, presidente-executiva da Todos pela Educação, falou sobre a importância das eleições municipais deste ano. “A recuperação do país passa pela educação e depende da trajetória escolar, que começa justamente no município”, afirmou.

ANÚNCIO

Priscila também ressalta que, após o desafio da volta às aulas ser superado, é necessário estar preparado na recuperação educacional, que interfere diretamente no desenvolvimento econômico e social. 

 Em 2001, 87,7% crianças em idade estavam nas escolas, já em 2018, 96,8% ocupavam das crianças ocupavam as instituições de ensino. Entretanto, os dados da pesquisa abaixo indicam que há o que melhorar.

Relatório sobre a educação brasileira aponta ações necessárias para melhoria
Fonte: (Reprodução/Internet)

Os três maiores desafios da educação brasileira

Binho Marques, mestre em educação e consultor do relatório da Todos pela Educação, apontou que existem três maiores desafios para a educação. Estes são o baixo financiamento, a baixa qualidade do ensino de grande desigualdade social, e a falta de administração nacional.

Binho ressalta que os eleitos nos municípios precisam entender que não existem recursos suficientes para o trabalho, portanto terão quatro anos para agir na diminuição dos impactos que o coronavírus trouxe à educação brasileira

Como conclusão, a pesquisa trouxe que, para administrar mais de 21,7 milhões de estudantes que compõem as escolas municipais, será necessário aumentar o acesso à pré-escola, diminuir a reprovação, expandir o horário para integral, reduzir as desigualdades e melhorar os números do Ideb.