Dia da Bandeira: a história por trás do símbolo brasileiro

ANÚNCIO

Durante os 520 anos do descobrimento do Brasil pelos portugueses, nós já tivemos 13 bandeiras como símbolo nacional, isso aconteceu porque a cada transformação histórica e política no cenário brasileiro promovia-se uma mudança que acompanhasse o novo espírito e os ideais vigentes.

De relevante manifestação cultural e social, após a Proclamação da República no Brasil (1889) o símbolo passou a ter uma data de comemoração, dia 19 de novembro, onde a bandeira em tons azul, amarelo e com o lema “Ordem e progresso” na metáfora do céu estrelado ganhou as feições atuais.

ANÚNCIO

Apesar da recusa em continuar utilizando a bandeira imperial, os republicanos a utilizaram como inspiração para criação do novo modelo. Quatro dias após o histórico 15 de novembro os professores Miguel Lemos e Teixeira Mendes idealizaram a nova bandeira,  tendo por base os famosos traçados do artista francês Jean Baptiste Debret.

Dia da Bandeira: a história por trás do símbolo brasileiro
Fonte: (Reprodução/Internet)

Bandeiras são representações nacionais desde a antiguidade

O Dia da Bandeira comemorado no Brasil em 19 de novembro marca uma antiquíssima tradição das civilizações, segundo aponta o professor de história da faculdade de Ciências e Letras, André Figueiredo. No entanto, em épocas mais remotas elas estavam atreladas a representação de símbolos mais pontuais e não como representação da soberania nacional.

O primeiro uso de bandeiras com esse intuito data do século XVIII quando muitos países passaram por grandes revoluções. A partir desses movimentos de ruptura, povos unidos em uma espécie de orgulho patriótica tenderam a criar simbologias de identificação nacional, como é o caso do Brasil em sua Independência de Portugal, cuja consequência data da Revolução do Porto (1820).

ANÚNCIO

Curiosidades sobre as bandeiras do Brasil

Como já mencionamos, o Brasil tem um histórico de bandeiras, sendo a atual a 13º dessas representações. Um fato curioso sobre uma das primeiras feições do símbolo é que em 1645 sua cor era vermelha, posto que eram adotados na colônia os mesmas representações de Portugal. Apenas em 1822 o verde e amarelo são batizados como as cores oficiais.

Dia da Bandeira: a história por trás do símbolo brasileiro
Fonte: (Reprodução/Internet)

Essa troca tem tudo a ver com as cores das famílias reais que colonizaram o Brasil, o verde adveio da Casa de Bragança, da corte de Dom Pedro I e o amarelo da Casa dos Habsburgos, dinastia da princesa Leopoldina. Em caráter político, a bandeira nacional tem representação voltada para as conquistas e evoluções do país durante os séculos.

Durante apenas quatro dias o 9º estandarte brasileiro era semelhante à bandeira norte-americana, mantendo as cores azul, amarelo e verde. No dias atuais, existem legislações rigorosas para circulação e confecção desses símbolos, muitas delas são desrespeitadas, como o habitual hábito de agasalha-se com ela.

Inspiração e o lema “Ordem e Progresso

Em cada primeiro dia de cada mês a maior bandeira exposta do Brasil, localizada em Brasília na Praça dos Três Poderes é substituída cerimonialmente. Essa mesma bandeira teve como inspiração em 1889 a antiga bandeira imperial

Ela ganhou o famoso céu estrelado da Constelação do Cruzeiro do Sul, em que cada estado brasileiro está representado pelo céu estrelado do Rio de Janeiro em 15 de novembro de 1889. A influência positivista da filosofia de Auguste Comte tornou-se inspiração para o lema “Ordem e Progresso” no centro da esfera.

Dia da Bandeira: a história por trás do símbolo brasileiro
Fonte: (Reprodução/Internet)

Esse lema carrega as noções de obediência e hierarquia, pois somente esse status de ‘ordem’ social pode levar uma nação ao ‘progresso’. Além da bandeira, o Brasil possui também como símbolos nacionais, o Hino Nacional, o Selo Nacional e o Brasão de Armas.