Covid-19: funcionário nos EUA danifica 500 vacinas propositalmente

ANÚNCIO

Os laboratórios farmacêuticos que estão lutando por uma vacina contra o coronavírus já estão nas etapas finais para anunciar o imunizante. No entanto, ainda há muito o que se trabalhar para trazer uma vacina com uma porcentagem alta de eficácia. 

Ano passado, mais precisamente no início de dezembro, na Inglaterra, foi vacinada a primeira mulher com o imunizante da Pfizer. No mesmo mês, a primeira brasileira também foi imunizada com a vacina. 

ANÚNCIO

Entretanto, enquanto uns lutam para que a vacina chegue logo ao Brasil, outros torcem para que isso não aconteça. Foi o que ocorreu nos Estados Unidos, quando um funcionário danificou 500 vacinas propositalmente. 

Covid-19: funcionário nos EUA danifica 500 vacinas propositalmente
Fonte: (Reprodução/Internet)

Funcionário admitiu intenção do crime

Durante a grande luta das farmacêuticas para o desenvolvimento de uma vacina contra a Covid-19, um funcionário do Aurora Medical Center realizou um crime contra todo esse trabalho realizado. 

Noticiado pela emissora local WISN12, foi necessário descartar 500 doses da vacina contra o vírus que aterroriza a população mundial após o profissional deixar o produto longe da refrigeração.

ANÚNCIO

Isso poderia ter ocorrido por um descuido de qualquer um, no entanto, o que choca é que o autor do crime admitiu ter estragado as doses propositalmente. Segundo a emissora, o episódio aconteceu no dia 26 de dezembro de 2020.

Ainda de acordo com a emissora, o funcionário foi demitido e também será alvo de uma investigação pelo FBI e pela Food and Drug Administration, ambas agências dos Estados Unidos.

“Estamos mais do que decepcionados que as ações desse indivíduo vão resultar em um atraso na vacinação de mais de 500 pessoas. Isso foi uma violação dos nossos valores, e o indivíduo não trabalha mais conosco”, declarou a instituição através de um comunicado. 

Médica sofre reações graves após administração da vacina Pfizer

A profissional de 32 anos apresentou graves sintomas de encefalomielite após 30 minutos da administração da vacina. De 20.000 imunizados, 30 sofreram com reações, mas somente uma foi hospitalizada. 

A médica habita no estado de Coahuila (norte) e, segundo a Secretaria de Saúde do país, a mesma mostrou sintomas graves após 30 minutos da aplicação da vacina. A profissional passou por episódios de convulsões e erupções cutâneas, perda de força muscular e dificuldade respiratória. 

Após os acontecimentos, a doutora foi levada a uma UTI, onde está sendo tratado pela inflamação cerebral. No entanto, esse é o primeiro caso de encefalite conhecido no México. 

A Secretaria de Saúde informou que a paciente tem alergia a trimetoprima com sulfametoxazol, um antibiótico que é utilizado para infecções em vias urinárias. De acordo com o governo, a médica receberá um tratamento especializado para não apresentar sequelas.