Nova variante da Covid-19 – Saiba mais

ANÚNCIO

Quase para a metade de dezembro de 2020, dia 14, foi descoberto pela Secretaria de Saúde do Reino Unido uma nova cepa do vírus que aterroriza o mundo, mais conhecido como o novo coronavírus

Foram registrados mais de 1.000 casos da nova cepa do SARS Cov-19 na Inglaterra, predominante no sul do país. Os especialistas pensam que isso pode ser um fato ligado ao aumento dos casos na região. 

ANÚNCIO

Apesar da nova variante do vírus estar longe do Brasil, já foram confirmados dois casos de contaminação da nova cepa em São Paulo. A confirmação de contágio foi ressaltada na segunda-feira (4) pela Secretaria Estadual da Saúde de São Paulo. 

Nova variante da Covid-19 - Saiba mais
Fonte: (Reprodução/Internet)

Nova cepa não é mais forte, mas é mais transmissível  

Uma mutação do vírus é uma mudança que acontece de forma aleatória no material genético. No caso do coronavírus, a mutação acontece no RNA do vírus, fita única que possui suas “informações”. 

Essas mudanças ocorrem com frequência, mas não significam que podem deixar o vírus mais forte ou mais transmissível. Até então, não há comprovação de que a mutação deixe o vírus mais forte, ou que agrave os sintomas. 

ANÚNCIO

Os pesquisadores só ressaltam que as trocas genéticas afetaram a maneira como o vírus faz contato com as células humanas. De acordo com Ester Sabino, da Universidade de São Paulo, o vírus pode sim causar um estrago. Portanto, a partir disso, a população deve ter ainda mais atenção. 

Embora a mutação não tenha deixado o vírus mais forte, um estudo médico que ocorreu no final de dezembro, aponta que a nova versão do vírus é entre 50% a 74% mais contagiosa. 

Primeiro caso da nova variante do Covid-19 em São Paulo 

Ainda que tenha se propagado inicialmente no Reino Unido, a nova cepa do vírus já chegou a São Paulo. A confirmação foi feita pela Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo, após uma análise de amostras no Laboratório Estratégico do Instituto Adolfo Lutz.

Dois casos foram confirmados e um dos pacientes que testaram positivo é uma mulher de 25 anos que reside em São Paulo. Segundo ela, a mesma se infectou após um contato com viajantes que passaram pelo território britânico. 

O outro infectado é seu contactante, um homem de 34 anos que também reside na capital. Até então, a Secretaria de Saúde não informou o estado de saúde de ambos pacientes. De acordo com a secretaria, os casos são da Linhagem B.1.1.7, ou seja, a nova cepa do vírus.