Startup americana desenvolve assistência médica voltada para negros

ANÚNCIO

Na segunda-feira (9), a startup Spora Health anunciou um projeto de assistência médica voltada para negros. A Instituição de saúde tem o intuito de disponibilizar um atendimento igualitário para a população negra dos Estados Unidos por um valor mensal. 

A startup desenvolveu o projeto para combater o racismo que é presente na área de saúde nos EUA. O serviço, por ora, só está disponível a população negros que more na Virgínia, Tenessee, Pensilvânia ou Flórida. 

ANÚNCIO

O objetivo da startup é não só oferecer serviços acessíveis, mas também introduzir os negros nas áreas da saúde de forma igualitária. Segundo Dan Miller, CEO da Spora Health, o sistema de saúde na América do Norte nunca foi igualitário, especialmente para negros. 

Startup americana desenvolve assistência médica voltada para negros
Fonte: (Reprodução/Internet)

Projeto visa oferecer saúde igualitária nos EUA

Embora o serviço ainda esteja em processo de desenvolvimento, o CEO da Spora Health acredita que o projeto pode entrar fortemente no mercado da saúde, competindo em preço em relação a outras empresa. 

A mensalidade da Spora Health é de US$9,99, aproximadamente R$54 em conversão direta e garante o acesso dos negros em diversas plataformas de atendimento compostas por médicos, nutricionistas, enfermeiros, dermatologistas, ginecologistas, nutricionistas e outros.

ANÚNCIO

Com o intuito de combater o racismo estrutural, o Spora Health possui um próprio sistema de seleção da equipe de saúde. Antes de participar do projeto, todos os profissionais devem passar por uma entrevista no Instituto Spora. O sistema foi criado para reeducar os provedores e ajudá-los a entender preconceitos. 

Racismo estrutural afeta até diagnósticos em negros 

A questão principal levantada pelo CEO do projeto é o racismo estrutural, mencionando que a questão existe desde a chegada dos brancos na América e ainda está enraizada em diversos campos da sociedade. 

De acordo com pesquisa levantada pelo o New York Times e dados do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) americano, os negros nos Estados Unidos possuem maior chance de serem afetados por doenças e não receber um tratamento digno. 

Além disso, ainda existem casos registrados de racismo cometido por médicos também com a diferença entre diagnósticos de brancos e negros. Esses dados demonstram o preconceito enraizado na área da saúde também como uma das causas para a negligência médica