Conheça as atividades físicas que contribuem para a saúde mental

Determinadas atividades físicas podem contribuir para a saúde mental de acordo com as características de cada pessoa e dependendo do momento pelo qual ela está passando em sua vida. 

Um estudo da Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto (EEFERP) da USP mostrou que pessoas que praticam atividades físicas podem apresentar diminuição em casos de ansiedade, estresse e insônia.

Um dos principais exercícios apontados pelos especialistas no portal de notícias El País, são: boxe, ioga, corrida e o piltaes. Cada um está direcionado para determinado problema ou transtorno que compromete a saúde do paciente.

Conheça as atividades físicas que contribuem para a saúde mental
Fonte: (Reprodução/Internet) 

Práticas como  tratamento de cura 

Psicólogos consultados pelo portal, indicaram algumas atividades para cada momento ou tendência que qualquer pessoa pode passar ou estar passando. Como exemplo, a primeira indicação foi o boxe, recomendado para aqueles que convivem diariamente com a pressão e a tensão, e tendem a ficar mais estressados ou irritados

Enquanto que a ioga e o pilates são fundamentais no tratamento de ansiedade e ataques de pânico, por trabalharem o relaxamento e o auto controle. Tendo em vista que o foco das práticas é a respiração, a qual é afetada quando se está em momentos de crise ou tratando de traumas. 

Por outro lado a corrida é indicada para os que têm insônia, porque segundo a psicóloga clínica Elena Dapra, correr aumenta a frequência cardíaca. E fazê-la subir durante o dia favorece com que ela abaixe à noite, o que é fundamental para um descanso de melhor qualidade. A natação também possui inúmeros benefícios.

Se respeitar, conhecer seus gostos e limites é essencial 

Apesar dos estudos e especialistas garantirem a eficácia da combinação de tendências psicológicas com exercícios próprios para elas, eles esclarecem que o mais importante é não se forçar a algo só porque se encontra em determinada situação. 

Antes disso, a pessoa precisa levar em consideração o que ela gosta de fazer, ter percepção de suas características físicas e estabelecer os seus limites para qualquer exercício que venha realizar. 

“Pode haver alguém com ansiedade que a ioga lhe provoque muito mais angústia do que relaxamento. E também você não pode dizer a uma pessoa com sobrepeso que nunca fez exercício na vida para correr 10 quilômetros. Às vezes, uma caminhada mais curta pode ter os mesmos efeitos benéficos”, disse Rafael San Román, psicólogo do app de psicologia iFeel.