Sonda chinesa pousa na Lua

ANÚNCIO

A China lançou em novembro de 2020 a sua sonda para a Lua. A missão robótica Chang’e-5 tem como objetivo coletar amostras de rocha que irão permitir melhores estudos sobre a origem do satélite natural do planeta Terra. A pretensão é de que cerca de 2 kg de materiais sejam recolhidos.

Agora, no início do mês de dezembro, teve seu pouso finalizado com sucesso anunciado. A mesma passará os próximos dias recolhendo as amostras necessárias para o estudo específico que a China está interessada. O país vem investindo bilhões para estudos espaciais.

ANÚNCIO

A última missão que conseguiu enviar uma sonda para coletar informações sobre a Lua aconteceu há mais de 40 anos atrás e foi realizada pela União Soviética (URSS). Ambas as missões possuem o mesmo objetivo de recolher materiais lunares para análise.

Sonda chinesa pousa na Lua
Fonte: (Reprodução/Internet)

Missão Chang’e-5 pousa na Lua

O mês de dezembro de 2020 começou com uma notícia positiva para os que se interessam em conhecer mais sobre o satélite natural do planeta Terra.

 A missão chinesa, batizada em homenagem à mitologia da deusa chinesa da Lua, pousou com sucesso no satélite e passará os próximos dias coletando imagens e amostras rochosas para análise. 

ANÚNCIO

A missão possui como objetivo principal, coletar cerca de 2 kg de rochas e poeiras lunares em uma área que ainda não havia sido visitada por outras missões realizadas. 

Conhecida como Oceanus Procellarum, a área será escavada a uma profundidade de cerca de 2 metros. Em seguida, os elementos serão enviados de volta à Terra. 

Caso tudo ocorra da forma como planejado, a China será o terceiro país a enviar uma sonda para a Lua com o objetivo de explorar e conhecer mais sobre a origem do satélite. 

Espaçonaves enviadas anteriormente pela China 

Anteriormente, os Estados Unidos e a União Soviética (URSS) enviaram sondas para o local, a última vez que houve sucesso em uma missão como esta foi em 1976, há cerca de 44 anos atrás.

A missão Chang’e-5 é a sucessão de outras tentativas já realizadas pelo país. As missões Chang’e 3 (realizada em 2013) e a Chang’e 4 (iniciadas em 2018) já haviam conseguido pousar dois robôs de controle remoto, chamados de “Coelhos de Jade”, no satélite natural. 

A china está investindo milhões para alcançar outros países na corrida espacial e pretende enviar homens à lua em 10 anos.