Papa Francisco afirma desejar uma Europa “saudavelmente laica”

ANÚNCIO

O representante máximo da igreja Católica, Papa Francisco em participação em evento no velho continente declarou sonhar com uma Europa ‘saudavelmente laica’, de forma que os governantes a quem ele denominou ‘César’ e Deus possam conviver com as suas diferenças.

A declaração aconteceu em meio ao evento do episcopado pertencente à União Europeia, ao qual o grupo realiza aniversário de quarenta anos. A fala do líder da Igreja Católica a favor de uma laicidade moderada foi enviada por meio de mensagem.

ANÚNCIO

Na última quarta-feira (21) o Papa Francisco também fez uma declaração de cunho mais progressista no que concerne ao direito de união entre pessoas do mesmo sexo, defendendo que os homossexuais também têm direito à família, uma vez que são filhos de Deus.

Papa Francisco afirma desejar uma Europa "saudavelmente laica"
Fonte: (Reprodução/Internet)

Confira mais detalhes do teor da mensagem enviado pelo líder Católico, Papa Francisco.

Tolerância entre política e religião

Em declaração enviada ao evento em comemoração aos quarenta anos do episcopado da União Europeia, o Papa Francisco se fez presente por meio de uma mensagem a qual defende o que denominou de “Europa saudavelmente laica”.

ANÚNCIO

“Eu sonho com uma Europa saudavelmente laica, em que Deus e César sejam diferentes, mas não sobrepostos. Uma terra aberta à transcendência, na qual o crente é livre para professar publicamente a sua fé e de propor o próprio ponto de vista na sociedade”.

A declaração do líder expõe uma tentativa de diálogo de abertura à tolerância entre os Estados que adotaram o sistema laico e as crenças, sobretudo no que tange ao respeito às diferentes formas de professar uma religião.

‘A solidariedade constrói a história’

Na mesma declaração, o Papa Francisco enalteceu o projeto da Europa em buscar unir religião e política que há tempos vem sendo pólos divergentes no cenário mundial. Para o líder, a união fortalece ambas as instituições, cessa os conflitos e torna o espírito de solidariedade mais tangível na construção da história. 

Ainda para ele, a Europa não deve esquecer as suas raízes, mas igualmente não deve ter medo de olhar com justiça para todos os seres humanos e as suas culturas e tradições.

O Papa se manifestou na semana passada a favor do direito de união entre homossexuais, opondo-se ao abandono familiar fruto da discriminação, que em muitos casos leva a exclusão social dessas pessoas.