Há 78 anos o mundo dava adeus a Nikola Tesla, o gênio da eletricidade ‘esquecido’

ANÚNCIO

Um dos mais importantes gênios inventores da humanidade, de origem sérvia, deixou o mundo em 7 de janeiro de 1943 em um quarto de hotel de Nova York, sem dinheiro e solitário, o seu nome era Nikola Tesla.

Tesla é reconhecido pela história e ciência em geral como o homem que “espalhou a luz pelo planeta Terra”. Também é denominado como um dos maiores inventores da modernidade, pois os seus trabalhos são revolucionários. 

ANÚNCIO

Ao final do século XIX e início do século XX, Tesla estudava o eletromagnetismo, as quais deram origem aos atuais sistemas de potência elétrica e alternada e os motores AC que contribuíram significativamente para a Segunda Revolução Industrial.

Há 78 anos o mundo dava adeus a Nikola Tesla, o gênio da eletricidade 'esquecido'
Fonte: (Reprodução/Internet)

“Guerra das Correntes” e o pioneirismo de Tesla

O fim do século XIX assistiu a uma disputa entre Nikola Tesla e Thomas Edison. A oposição entre os dois inventores estava condensada da distribuição da eletricidade que era defendida por Edison pela corrente contínua e por Tesla pela corrente alternada.

Na corrente contínua os elétrons se movimentam em um único sentido, enquanto na alternada o sentido sofre variação. A lâmpada incandescente, utilizada nos primeiros anos da era moderna da eletricidade nos EUA, era de corrente contínua e patenteada por Edison.

ANÚNCIO

Tesla era matemático e sabia como realizar cálculos precisos, enquanto o seu adversário não, com o sistema alternado os motores, baterias e aparelhos melhores podem funcionar com menos tensão e com menos dispêndio.

Não houve como rivalizar com as desvantagens da corrente contínua e Tesla saiu vencedor do concurso após suas demonstrações de sucesso. O sérvio ganhou notoriedade em solo norte-americano e passou a ser visto como rival.

A difícil vida de Tesla – O ‘mago da eletricidade’

Apesar da fama, Tesla foi reconhecido como um “cientista louco” pois suas afirmações eram vistas como excêntricas para a época. Ademais, hoje historiadores apontam que ele poderia sofrer Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC).

Tesla contribuiu em diversas áreas com sua genialidade, como engenharia eletromecânica, eletromagnetismo, robótica, radares, ciência computacional, balística, física teórica e indiretamente para o surgimento da física nuclear.

Por se dedicar quase exclusivamente aos estudos, ele acabou por abrir mão de relações sociais, por isso nunca se casou ou teve filhos. Além disso, nunca acreditou ser digno de nenhum uma mulher e ficou sozinho a maior parte da vida.

Também não ligava para a administração de seus ganhos. Tesla leu muitas obras, tinha memória fotográfica e era versado em oito idiomas. Aparentemente ele sofria de um mal que se desdobrava em clarões de luz que o cegavam por segundos, onde ele alucinava.

Essas alucinações proviam geralmente de alguma palavra que na mente de Tesla se mostrava nitidamente como detalhes fiéis de uma invenção, atualmente se denomina essa característica de pensamento visual

Vinda aos EUA e morte de Tesla

Em 1884 Tesla veio para Nova York onde trabalhou na empresa de Thomas Edison. Inicialmente ele era um simples engenheiro elétrico, porém, como atuava em resolução de problemas mais complexos, foi angariando novos cargos.

Há 78 anos o mundo dava adeus a Nikola Tesla, o gênio da eletricidade 'esquecido'
Fonte: (Reprodução/Internet)

O cientista aperfeiçoou geradores elétricos, tornando-os eficientes, Edison chegou a prometer uma fortuna a Tesla, mas não a cumpriu, uma vez que sua empresa não tinha caixa para isso. Quando o jovem foi cobrado, Edison comentou que era “brincadeira de americano”, isso porque ele desacreditava que Tesla fosse capaz de realizar o que se propôs.

Depois disso, o gênio da eletricidade rompeu com Edson e foi trabalhar com Rahway, mas também não foi devidamente valorizado. Mais tarde o seu potencial foi finalmente notado por Alfred S. Brown que o ajudou a conseguir abrir a Tesla Eletric Company.

Assim veio mais estudos e a “Guerra das Correntes. Não obstante a todos os seus esforços, sua personalidade excêntrica e a ausência de confiança em suas invenções pela ciência da época, deixaram-no como um famoso empobrecido.

Em 7 de janeiro de 1943, há exatos 78 anos, a empregada Alice Monaghan percebeu que Tesla já não pertencia a este mundo. Ele estava sozinho, pobre e sua morte foi atestada como trombose craniana. Mas até hpje, sua corrente alternada é a que corre pelos fios de eletricidade do planeta.