Ex-embaixador dos Estados Unidos diz que Brasil está mal posicionado politicamente

ANÚNCIO

Recentemente, ocorreram as eleições presidenciais dos Estados Unidos com a disputa entre Joe Biden e Donald Trump. Depois de quatro anos na presidência, Donald Trump deixou o posto e o passou para Joe Biden. 

De acordo com o ex-embaixador americano que trabalhava em Brasília, Thomas Shannon, a eleição de Joe Biden como o novo presidente dos EUA influência na relação do Brasil com a potência mundial, colocando o território nacional em posição delicada. 

ANÚNCIO

Em entrevista à BBC News Brasil, o ex-embaixador disse que “foi um erro” o presidentes Jair Messias Bolsonaro colocar a frente sua relação pessoal com Donald Trump, e ressaltou que embora Biden tenha sido elegido, a cultura do “trumpismo” ainda não desaparecerá.  

Ex-embaixador dos Estados Unidos diz que Brasil está mal posicionado politicamente
Fonte: (Reprodução/Internet)

Trump, Bolsonaro e Biden: como a eleição influencia o Brasil

Neste sábado (07), Biden conseguiu sua vitória na Pensilvânia, superando assim os 270 delegados necessários para ser eleito pelo Colégio Eleitoral. Nos Estados Unidos a eleição acontece de uma forma diferente do Brasil, precisando que os candidatos conquistem a maioria dos votos recebidos em cada Estado. 

O ex-embaixador falou sobre o fato do posicionamento do atual presidente do Brasil poder ser um empecilho sobre o futuro governo de Biden. De acordo com o subsecretário, as relações entre países do tamanho do Brasil e dos Estados Unidos não deveriam se limitar, pois é um erro

ANÚNCIO

“O presidente Bolsonaro tem um parceiro estratégico importante (EUA) onde ele está mal posicionado politicamente. É triste, porque as relações entre Brasil e Estados Unidos são importantes demais para o Brasil encontrar-se nessa posição”, disse Shannon.

Shannon é diplomata e uma das maiores autoridades americanas que reside na América Latina. O ex-embaixador começou a trabalhar em Brasília em 2010 e saiu em 2013, depois atuou como diplomata na Guatemala e Venezuela. Porém, encerrou sua carreira pública em 2018 como subsecretário de Estados para Assuntos Políticos dos Estados Unidos. 

Temas globais podem interferir a relação entre os países

Ainda em entrevista à BBC, Thomas abordou as mudanças externas que ocorrerão quando Biden tomar o cargo de presidência. Segundo ele, o eleito tem muita experiência com temas globais, desde a época que trabalhava no Senado e também como vice-presidente de Barack Obama. Ele concluiu dizendo que Biden pretende fortalecer alianças e parcerias com outros países.

Durante a campanha de candidatura de Joe Biden, o mesmo mostrou-se preocupado com a preservação da floresta amazônica e cogitou cortes econômicos contra o Brasil se o desmatamento não acabar. Segundo o ex-embaixador, temas ambientais são bem importantes desde o começo da administração de Biden. 

Junto ao seu pensamento sobre posicionamento político do Brasil, o ex-embaixador ressalta que a terra do café  e os EUA desenvolveram um diálogo ambiental positivo, mas para continuar com essa aliança ambiental, depende da maneira que Bolsonaro apresentará o assunto em seu governo. Já tem-se a perspectiva que a eleição afetará o comércio entre Brasil e EUA.

Thomas também ressaltou que é muito importante o posicionamento do Brasil pois, nesse momento, Biden se mostrou como um dos únicos presidentes que chegou a Casa Branca reconhecendo a importância do Brasil em áreas política, mas que os Estados Unidos estão em uma posição delicada e que depende da diplomacia para lidar com tudo isso.