Entenda a conexão entre imunidade, sono e estresse

ANÚNCIO

A boa relação com o sono influencia diretamente na qualidade de vida, no aumento da imunidade do organismo e na queda do estresse. Determinadas regiões cerebrais realizam conexões que interligam funções adjacentes ao sono, imunidade e ao estresse.

Essa afirmação advém de comprovações científicas que são aprofundadas com o passar dos anos por meio de estudos. Um dos mais importantes na categoria foi desenvolvida por pesquisadores renomados da Cold Spring Harbor Laboratory e da instituição de Stanford.

ANÚNCIO

Os cientistas realizaram uma sequência de mapeamento da atividade do circuito cerebral envolvida com a insônia, que reverberam nos indivíduos, em comportamentos de estresse e baixa resposta do sistema imunológico.

Entenda a conexão entre imunidade, sono e estresse
Fonte: (Reprodução/Internet)

Entenda quais são as conexões cerebrais entre sistema imunológico, sono e estresse.
 

Rede de neurônios interliga funções cerebrais

Cientistas de duas instituições de prestígio nos EUA divulgaram novos dados que podem confirmar a relação entre sono, estresse e imunidade, em outras palavras entre insônia, baixa imunidade e estresse.

ANÚNCIO

Em setembro os estudos estavam sendo desenvolvidos com cobaias de camundongos, que apresentavam respostas positivas para tal hipótese. Em noites mal dormidas, um indivíduo está sofrendo com a liberação de Cortisol, um hormônio diretamente envolvido nas respostas de insônia e estresse.

Nos camundongos em teste, os cientistas notaram que sua difusão acontecia pela transmissão conjunto de neurônios, que ao ser bloqueada deixava os animais calmos e sonolentos, prontos para um boa noite de sono. Caso a área fosse novamente estimulada, novamente os mesmos despertavam.

O estresse e sua influência determinante na imunidade

Entenda a conexão entre imunidade, sono e estresse
Fonte: (Reprodução/Internet)

 

Os primeiros passos do estudo foram divulgados na Revista Science Advances em setembro deste ano, de lá para cá novos experimentos foram sendo testados, um deles foi a relação entre estresse e sistema imunológico. 

Ao interferir na liberação de Cortisol no organismo dos camundongos, os pesquisadores constataram que os animais podiam dormir até mesmo após serem vítimas de situações estressantes, mas por outro lado as células responsáveis pela defesa são afetadas negativamente.

Neste caso parece ocorrer uma elevação na resposta imune de forma desnecessária, exatamente quando se perturba áreas específicas de neurônios, assim tendo influência na imunidade. Por enquanto as conclusões advém das cobaias animais, mas caso seja comprovado sua funcionalidade em humanos, novas terapêuticas medicinais deverão ser repensadas.