Cientistas descobrem transmissão de vírus letal na Bolívia

ANÚNCIO

Com a pandemia do Covid-19, a população percebeu a importância da detecção de vírus e bactérias virais mais cedo. Isso antes das mesmas se tornarem um vilão para a humanidade, como foi o caso do coronavírus. 

Diante ao cenário atual, pesquisadores do Centro de Prevenção e Controle de Doenças dos Estados Unidos, em estudos detectaram uma família de vírus que está circulando na Bolívia que é capaz de ser letal.

ANÚNCIO

Segundo os estudiosos do Centro de Prevenção, o vírus tem capacidade de realizar a transmissão de humano para humano. Diferentemente do Sars-CoV-2, o vírus da Bolívia não é transmitido pelo ar, então sua disseminação pode ser controlada facilmente. 

Cientistas descobrem transmissão de vírus letal na Bolívia
Fonte: (Reprodução/Internet)

Doença chamada de “vírus de Chaparé” causa febre hemorrágica

Embora a disseminação do vírus possa ser controlada de forma simples, ainda assim, a doença pode causar graves sintomas no portador, gerando febres hemorrágicas semelhante ao vírus da Ebola. A pesquisa foi baseada em um evento de 2019 na Bolívia, quando dois pacientes transmitiram a doença para três trabalhadores no hospital. 

De cinco pacientes que foram contaminados com a doença, três deles acabaram morrendo, sendo um paciente e dois funcionários. Até hoje, só tinha ocorrido um surto desse tipo de arenavírus na cidade de Chapare em 2004, a cerca de 600 quilômetros da cidade que registrou casos em 2019.

ANÚNCIO

Por isso, a doença foi nomeada como “Vírus de Chapare”. Pelo os estudos que foram feitos até agora, foi concluído que os ratos são os vetores do vírus até os humanos. Por fim, foi concluído que a disseminação do vírus se da por conta dos fluidos corporais, e não por vias respiratórias.

Sintomas do vírus de Chapare  

Alguns dos sintomas que registrados pelos pacientes que foram infectados pelo vírus de Chapare, são dores abdominais, vômito, sangramento na gengiva, dor atrás dos olhos e irritação na pele. Até então, não foi encontrado um tratamento específico contra a doença, portanto o paciente só receberá suporte hospitalar para tratar sintomas.

Os pesquisadores também ressaltam que é possível que o vírus já tenha circulado pela região sem ter sido detectado há um bom tempo, já que ele possui  semelhanças aos sintomas dengue. Após um tempo estudando a doença, os cientistas conseguiram realizar rapidamente um teste para o diagnóstico.