Bolsonaro e Trump o que o Brasil conquistou e perdeu com a proximidade dos líderes

ANÚNCIO

Com as eleições norte-americanas em destaque, analistas passam a destacar possíveis vantagens e desvantagens que a amizade entre ambos representantes trouxe para a nação brasileira. Donald Trump já chegou a afirmar que Bolsonaro é um ‘grande amigo’.

A proximidade dos líderes parece ter influído diretamente na gestão do presidente brasileiro, que viu na relação uma oportunidade de crescimento para o país. Tanto Bolsonaro quanto Trump possuem afinidades em posicionamentos, configurando conservadores na política e populistas em parte das ações.

ANÚNCIO

Entre as áreas afetadas pelo intercâmbio entre Brasil e EUA estão a pasta de imigração, os acordos de base comercial e militar, exportações siderúrgicas, tecnologia e ainda meio ambiente e pandemia.

Bolsonaro e Trump o que o Brasil conquistou e perdeu com a proximidade dos líderes
Fonte: (Reprodução/Internet)

Imigração de brasileiros não é recíproca

Em relação ao tema de política imigratória, o presidente Jair Bolsonaro tomou iniciativas para retirar a obrigatoriedade de visto para estadunidenses entrarem no Brasil, enquanto do outro lado Trump apenas realizou promessas de concessões similares e manteve uma ação extensiva contra imigrantes brasileiros clandestinos.

Para o líder sul americano, a abertura facilitada a entrada dos norte-americanos as fronteiras brasileiras é precípua para aumentar a parcela de contribuição com o turismo do país. Todavia, com a pandemia, o fluxo de turistas estadunidenses não alcançou o patamar esperado pela medida.

ANÚNCIO

Acordos de base militar e comercial

Em sua visita ao centro de poder norte-americano em março deste ano, Bolsonaro assinou um acordo de cooperação militar com Trump, cujo ajuda pode influenciar decisivamente no avanço de pesquisas que podem originar novos equipamentos de ordem militar e modernizar o setor no Brasil.

Em torno dos acordos comerciais estão registrados processos simplificados em questões de barreiras tarifárias e burocráticas. Ademais, adotam-se práticas regulatórias que interessam a ambos, principalmente na não interferência de exportações.

Igualmente em 2019, Bolsonaro conseguiu angariar sua entrada na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), cujo foco está na melhoria de setores da sociedade e seus indicadores.

Exportações de produtos da cirurgia brasileira

Com ameaças reiteradas de Trump quanto à exportação de aço e alumínio do Brasil, no quesito sobretaxas, reduzindo em sequência o nível de pedidos realizados dos produtos brasileiros. O líder da Casa Branca argumentou que tal atitude foi tomada devido às mudanças do próprio mercado de aço norte-americano.

Tecnologia 5G acirrada: EUA x China x Brasil

A implementação do 5G é ponto de destaque para as políticas internacionais entre chineses e estadunidenses no setor comercial. Estados Unidos acusaram diretamente o governo de Pequim no quesito segurança de dados pela empresa Huawei.

Bolsonaro e Trump o que o Brasil conquistou e perdeu com a proximidade dos líderes
Fonte: (Reprodução/Internet)

Os equipamentos da marca que são comercializados no Brasil são alvos de Trump em suas relações com o país, a qual exige exclusão do uso do mesmo. Caso Bolsonaro acate o pedido, o Brasil perderá um grande parceiro comercial.

Pandemia e questões ambientais

No panorama de proximidade entre os líderes em questão de meio ambiente nota-se visões semelhantes, um tanto displicentes e desatentas, isso pode se resumir na decisão de Trump em deixar o Acordo de Paris sobre redução de gases influentes na progressão do efeito estufa.

Do outro lado, Bolsonaro acusou abertamente instituições ativistas do meio de ambiente de serem as responsáveis pelo aumento das queimadas na biodiversidade da Amazônia. Igualmente em assunto de Covid-19, os líderes foram assertivos quanto à propagação do vírus, negando tamanha capacidade destrutiva. 

O uso da Cloroquina para tratamento da doença foi outro ponto de acordo, ao qual evidenciaram a descrença dos líderes na ciência. As duas nações enfrentam uma dos maiores surtos, com milhares de mortos pelo coronavírus.