Relatório registra o mês de novembro como o mais quente da história

ANÚNCIO

Na última segunda-feira (07), o Serviço de Mudanças Climáticas Copernicus da União Europeia, divulgou um documento apresentando o relatório responsável por coletar e divulgar dados sobre a situação climática do planeta Terra. A pesquisa é realizada desde 1979 e os números que formam a média estão entre 1981 e 2010. 

A análise realizada detectou um aumento referente à 0,77ºC comparados com a média registrada entre os anos de 1981 e 2010. O novo número registrado confirma que este mês de novembro bateu o recorde de mais quente da história.Superando os recordes anteriores para este período em 2016 e 2019.

ANÚNCIO

 Além disso, o ano de 2020 também apresenta a possibilidade de estar entre os 3 anos mais quentes da história, segundo levantamento prévio realizado pela OMM (Organização Meteorológica Mundial). Este registro irá classificar, também, os últimos 5 anos como os mais quentes da história.

Relatório registra o mês de novembro como o mais quente da história
Fonte: (Reprodução/Internet)

Alta e tendência ao aquecimento global 

O relatório apresentado na última pesquisa da Copernicus mostrou também as regiões que tiveram a maior alta nas temperaturas. Este aumento foi visto, principalmente, mais associado ao hemisfério norte, especialmente no Norte da Europa, Sibéria e Ártico. 

A pesquisa também revelou que no Ártico, o mês foi o segundo que apresentou a menor extensão de gelo, desde que as medidas começaram a ser analisadas por satélite, em 1979. E quanto aos índices na Antártica, os mesmos permaneceram na média.

ANÚNCIO

O diretor da Copernicus, Carlo Buontempo, afirmou em nota emitida oficialmente que os novos números recordes registrados são a representação da consistência das tendências de aquecimento global a longo prazo, e que devem servir de alerta para os legisladores que tentam amenizar a situação.

Aquecimento Global 

Os últimos 5 anos, período entre 2015 e 2020, foram registrados como os mais quentes da história. O resultado disso preocupa estudiosos e ativistas pelas causas ambientais. A alta temperatura ameaça alcançar o limite estabelecido pelo Acordo de Paris sobre o clima.