Como a produção de vacinas pode ser revolucionada após a Covid-19

ANÚNCIO

A pesquisa pela vacina eficaz para a Covid-19 deve criar uma revolução na criação de próximas imunizações. A engenharia genética, que faz a célula humana produzir parte de determinado vírus, e assim produzir imunidade, deve ser aprimorada após o atual período.

Esta tecnologia é capaz de acelerar a produção de vacinas, de simplificar todo o processo e ainda de baratear o produto. Entretanto, ainda resta provar que as chamadas, vacinas gênicas, são realmente eficientes.

ANÚNCIO

Tal tipo de imunização ainda não foi aprovado para a aplicação em humanos, porém, duas das oito vacinas do estágio 3, contra o novo coronavírus, estão sendo produzidas neste formato. 

Como a produção de vacinas pode ser revolucionada após a Covid-19
Fonte: (Reprodução/Internet)

Duas vacinas gênicas estão na última fase de testes

As empresas que estão participando da corrida pela imunização da Covid-19, produzindo vacinas gênicas, são a Pfizer dos Estados Unidos com parceria com a  BioNTech da Alemanha, e a Fosun da China. A outra imunização está por conta da americana Moderna.

As duas opções já estão no último estágio dos testes em humanos, sendo aplicadas em massa. Nobert Pardi, professor e pesquisador da Universidade da Pensilvânia, afirmou que os protótipos são promissores.

ANÚNCIO

“Ainda precisamos ver os resultados da última fase, mas estou otimista. Acredito que uma ou mais delas serão aprovadas. Isso tem o potencial de revolucionar o campo das vacinas para doenças infecciosas”, ressaltou Pardi.

Imunização pode ser mais rápida

A grande maioria das vacinas existentes, consistem na injeção de uma bactéria ou vírus para que o corpo desenvolva imunidade ao invasor. Os vírus, como o Sars-Cov-2, são aplicados enfraquecidos ou inativados, para que não cause efeitos colaterais severos.

A Coronavac, por exemplo, é uma vacina inativada, que demonstrou segurança, e que pode ser distribuída no estado de São Paulo a partir de 2021. 

Existem também as vacinas de subunidades, que carregam consigo algumas partes do vírus, como uma proteína. Tais fragmentos são purificados e sintetizados para imunização.

Para a vacina gênica é necessário encontrar um código genético por meio de uma proteína que, quando aplicada no organismo, induz as células a produzirem a proteína do vírus, e logo após a imunização do mesmo.