Parque Disney irá se converter em palco de vacinação contra a Covid-19

ANÚNCIO

O famoso Parque da Disney, em Orlando, Califórnia, é apontado como sede de um plano de vacinação em massa nos EUA. A informação foi repassada pela Reuters e confirmada pela diretora e médica do parque, Pamela Hymel, que relatou entusiasmo com a ação.

As imunizações já devem iniciar ao final desta semana, quando o Disneyland Resort irá receber residentes autorizados para realizar as administrações das vacinas. O prefeito da cidade, Harry Sidhu, onde fica localizado o resort, também demonstrou esperança com o projeto de ‘supervacinação’. 

ANÚNCIO

A Disneylândia será apenas a primeira a receber a população para imunização, pois autoridades norte-americanas já confirmaram a abertura de outros locais com o mesmo intuito, este é o caso da anfitriã que estava de portas fechadas desde março de 2020.

Parque Disney irá se converter em palco de vacinação contra a Covid-19
Fonte: (Reprodução/Internet)

Primeiro de grande porte aberto para vacinação

Um dos maiores parques turísticos do mundo terá outro tipo de protagonismo ao final desta semana, isso porque foi o primeiro grande centro a ser reaberto com o propósito de reunir a população para a imunização em massa contra a Covid-19.

Pamela Hymel demonstrou orgulho pelo resort ser o primeiro a receber os moradores do Condado de Orange para enfim pôr em prática mais um dos esforços no combate à pandemia.

ANÚNCIO

Ao redor do parque é estimada uma população de 3.1 milhões de pessoas. No local, cerca de 190 mil receberam diagnóstico positivo para o SARS-Cov desde o início do surto, sendo que 2.100 foram vítimas fatais. De início o condado irá iniciar a vacinação a favor de profissionais de saúde e maiores de 75 anos.

Vacinação já está acontecendo desde dezembro de 2020

Com a autorização das farmacêuticas Pfizer e Moderna para iniciar o uso emergencial dos imunizantes produzidos, as campanhas de vacinação já deram o pontapé em dezembro de 2020.

Os profissionais de saúde, que foram testemunhas de mais duas mil mortes ao dia em campo de trabalho, entraram na lista dos primeiros imunizados contra a doença, que nos EUA já alcançou as 380 mil mortes nesta  quarta-feira (13).