Titanic: disputa judicial deseja encontrar o telégrafo do navio

ANÚNCIO

Há mais de um século da tragédia do Titanic, uma disputa judicial corre até hoje. A dualidade confrontante do processo é entre quem quer recuperar o telégrafo afundado, e que quer preservar os corpos que acompanham o aparelho de comunicação.

O objeto é muito importante para registros do náufrago, mas para buscá-lo seria necessário que uma equipe vá para debaixo do mar, onde o que sobrou de 1.500 pessoas pode continuar por lá.

ANÚNCIO

A RMS Titanic Inc é empresa responsável pelo interesse em resgatar o telégrafo sem fio. O artefato foi uma grande parte da salvação de cerca de 700 pessoas, pois por meio dele pedidos de socorro foram enviados.

Titanic: disputa judicial deseja encontrar o telégrafo do navio
Fonte: (Reprodução/Internet)

Resgate do objeto é visto por alguns como desrespeito aos mortos 

O plano de resgate do telégrafo seria executado em 2021, utilizando um robô. Inicialmente, a Justiça do Estado da Virginia havia permitido a operação, pois seria de grande contribuição para o legado da tragédia, tanto dos que sobreviveram e quanto dos que morreram.

Entretanto, o governo dos Estados Unidos vai de contra a decisão da RMS Titanic Inc, e e alega que a ação quebraria um acordo internacional que verifica que o navio é um memorial aos que se foram.

ANÚNCIO

A Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos, representante do interesse civil, também foi contra a recuperação do objeto. Isto porque o resto de alguns corpos podem estar presentes dentro do navio, fazendo com que a visita fosse desrespeitosa. 

Telégrafo foi utilizado para pedir ajuda

O Titanic saiu da Inglaterra, em Southampton, para os Estados Unidos, em Nova York. Quando na noite de 14 de abril de 1912, a embarcação chocou contra um iceberg, e o návio começou a inundar.

Thomas Andrews, idealizador do transatlântico afirmou ao capitão que o Titanic iria afundar. Por meio do telégrafo, às 00h15, foram enviados pedidos de ajuda por código Morse, uma maneira de comunicação que forma palavras por alguns sinais.

“Venham já. Nos chocamos contra um um iceberg”, avisou Jack Phillips, operador de comunicações para o návio Carpathia. “Nós batemos em um iceberg e afundamos na proa”, foi enviado também por Phillips ao navio alemão Frankfurt.

Após o Carpathia chegar ao local do acidente, apenas os 700 botes com mulheres e crianças ali estavam. O Titanic já havia partido ao meio e afundado totalmente. A navegação auxiliar resgatou os únicos sobreviventes da tragédia.