Sustentabilidade além de preservar o meio ambiente traz economia para restaurante

ANÚNCIO

Empresas de diversos ramos tem apostado em financiar modelos sustentáveis para apresentar e fechar parcerias com restaurantes, bares e lanchonetes. As propostas envolvem energia limpa e formas biodegradáveis que ajudem na economia desses lugares. 

Como exemplo disso, tem-se a empresa de bebidas Ambev, a qual recentemente anunciou a parceria de seu setor de tecnologia e inovação Z-Tech com a startup Lemon Energia, que conecta produtores de energia elétrica renovável para serem instaurados em estabelecimentos. 

ANÚNCIO

Esse empreendedorismo visa economizar reduzindo a despesa desses lugares, como em contas de luz, além de abastecê-los com energia solar ou eólica sem eles precisarem instalar os painéis ou aerogeradores nas suas estruturas. 

Sustentabilidade além de preservar o meio ambiente traz economia para restaurante
Fonte: (Reprodução/Internet) 

Economia na conta de luz ajudou empresários na pandemia

Essa proposta já foi implantada em alguns negócios variados, tanto bares quanto mercearias, no estado de Minas de Gerais, apesar do fluxo intenso da pandemia. Porém, a iniciativa trouxe vantagens aos empresários que estavam afetados com os estabelecimentos fechados. 

Em entrevista ao Gazeta do Povo, o fundador e CEO da Lemon, Rafael da Rosa Vignoli, comentou que o projeto tem por objetivo gerar créditos de energia. Logo, uma economia de 20% é lançada, ajudando a suprir os prejuízos obtidos com a paralisação dos espaços. 

ANÚNCIO

“É como se pudéssemos entregar uma economia de duas contas de luz por ano aos clientes, e sem cobrar absolutamente nenhuma taxa dele. A adesão ao sistema leva menos de dois minutos e é toda feita pelo celular”, explica o CEO.

Uso racional da água também desperta interesse 

Com o uso das formas de alumínio em bolos, pães e tortas, a ideia de alguns lugares é aderir as embalagens descartáveis desse produto, com o intuito de economizar água na lavagem dos materiais.

Apesar que a ação tende a gerar mais lixo, o movimento #EuNãoLavoForma acumulou uma economia de 85 milhões de litros de água, com a venda de 28 milhões de formas descartáveis de diversos modelos em 1,4 mil lojas espalhados pelo Brasil. 

Esse movimento chegou ao país há 4 anos atrás, iniciado na Itália pelo empreendedor Anderson Oliveira, da Ecopack Sulformas.