Como sobreviver no lugar mais quente do mundo

Será que tem como sobreviver no lugar mais quente do mundo? Aliás, o que é que tem no lugar mais quente do mundo? Onde ele fica? Tem vida, tem água, tem plantas, tem pessoas? A gente fez um conteúdo muito bacana que conta sobre isso.

Ah, para quem está curioso, considere que sim, existem pessoas que sobreviver e vivem em lugares que possuem temperaturas bem altas, passando dos 50º C. O que pouca gente sabe é que isso pode ser bem arriscado, levando até mesmo a morte por calor. Sabia? 

ANÚNCIO
Como sobreviver no lugar mais quente do mundo
Foto: (reprodução/internet)

Dessa forma, entenda tudo sobre os estudos dos lugares mais quentes nos temas:

  • O Deserto de Lute;
  • Com vida, mas sem vegetação;
  • O Vale da Morte;
  • Muito quente;
  • Os lugares do mundo com calor “insuportável”.

O Deserto de Lute

Esse é um grande deserto de sal que fica no Irã, sendo considerado um dos 30 maiores do mundo. Ele, assim como o Deserto do Saara e o Deserto de Sonora, tem condições atmosféricas que impedem a precipitação regular. Ou seja, não chove!

Como sobreviver no lugar mais quente do mundo
Foto: (reprodução/internet)

Em termos estruturais possui formação alongada de cor clara. Tem um plano paralelo à serra que corresponde a um dos lagos Dasht, que tem cerca de 300 quilômetros. Entre 2004 e 2005, esse Deserto teve a temperatura mais alta da Terra já registrada: 70,7º C. 

A gravação foi feita pelo sensor MODIS, que é da NASA, ainda que a temperatura não tenha sido oficializada. Esse é um tipo de equipamento que mede a temperatura do solo (e não do ar), sendo assim superior a temperatura da atmosfera. 

Patrimônio Mundial

Em 2016, depois de registrar as temperaturas mais altas do mundo, considere que a Unesco decidiu configurar o Deserto de Lute como um patrimônio mundial. E explicou isso da seguinte forma: “apresentar alguns dos mais espetaculares exemplos de desertos de rocha e dunas”. 

Além do título da Unesco, esse se tornou um dos lugares mais visados pelos estudiosos nos últimos tempos. A partir disso descobriu-se, por exemplo, que Dasht-e-Loot, que é a tradução persa para o Deserto significa “Deserto do Vazio”.

Agora, o que é mais estranho, além do nome, é que ali já foram encontrados seres vivos, além de água. Entre os animais, répteis e até mesmo as raposas do deserto. Então, a pergunta passa a ser: como sobreviver no lugar mais quente do mundo? É isso que vamos descobrir.

Com vida, mas sem vegetação

Uma das descobertas veio do estudioso Amir AghaKouchak. Ele diz que: “há espécies de animais que não são encontradas em nenhum outro lugar do planeta. No entanto, não há registro de vegetação em nenhum ponto dos 52 mil quilômetros quadrados do lugar”. 

Como sobreviver no lugar mais quente do mundo
Foto: (reprodução/internet)

Por isso, o Amir e seus amigos pesquisadores querem saber: como existe uma cadeia de alimentação em uma região assim? Ou seja, em um lugar tão árido e sem plantas. “Como um ambiente tão inóspito pode manter vida” e “como as raposas sobrevivem”, perguntou Amir.

Uma das respostas é sobre ter pássaros como alimento. Na verdade, essa é uma hipótese. “Frequentemente, nós avistamos pássaros mortos no deserto. A maioria são aves migratórias que podem ter se perdido durante seus trajetos”. 

As temperaturas mais altas

A partir dessa hipótese vem também os estudos que provam que essas temperaturas tão altas não aconteceram algumas poucas vezes. Na verdade, para Amir, é a região que prova isso, sendo que o lugar é cheio de rochas vulcânicas, que absorvem calor.

“A combinação de circunstâncias, de superfície muito quente e muito vento, provoca o calor extremo. É como ter um secador de cabelo funcionando o tempo todo”, disse o pesquisador que é um dos principais nomes por trás desse deserto quente.

Mais uma curiosidade vem do mar escondido. Como assim? Imagens de satélite mostrar que há padrões de umidade nesse terreno. Seriam sinais distorcidos? Para os pesquisadores, “existe água ali naquele lugar, sendo uma espécie de mar escondido porque a água é salgada”. 

O Vale da Morte

Agora, vamos falar de um segundo lugar que pode ser o mais quente da Terra. Inclusive, para muita gente é. Isso porque é considerado o que tem a marcação mais confiável, de forma que o registro foi feito pela Organização Meteorológica Mundial.

Como sobreviver no lugar mais quente do mundo
Foto: (reprodução/internet)

Para quem não conhece, saiba que o Parque Nacional do Vale da Morte também é uma área desértica que fica entre dunas de areia nas fronteiras da Califórnia com a Nevada. Em 2020, o lugar registrou uma temperatura de 54,4º C, que pode ser a mais alta já conferida.

Esse lugar mais quente do mundo, que fica nos Estados Unidos, é mais próximo dos humanos porque tem muita gente que “vive” ali para os estudos. Brandi Stewart é um deles, que trabalha na área de comunicação do parque.

Muito quente

O Brandi diz que “é tão quente que eu demorei um pouco para me acostumar com o fato de que você não consegue sentir o suor na pele porque ele evapora muito rápido”. De acordo com ele, é possível sentir o suor nas roupas, mas não na pele

A maior parte do tempo, o estudioso fica dentro de casa, onde tem o ar-condicionado. Em alguns dias, vai para as montanhas, onde as temperaturas abaixam um pouco. É desse modo que ele foi se adaptando ao ambiente quente. “Abaixo de 26ºC já parece frio aqui”.

Agora, um dos fatos mais curiosos é que mesmo sendo um lugar de altíssima temperatura, esse não é um dos mais perigosos à saúde dos humanos. Isso porque o lugar tem um clima seguro, já que os índices do ar ficam em torno de 7%.

Outros lugares do mundo muito quentes

Apesar de que o Deserto de Lute e o Vale da Morte são considerados os lugares mais quentes da Terra, saiba que existem outros concorrentes nessa história toda. Aliás, o tema se tornou pesquisa e ranking da Science Advances.

Como sobreviver no lugar mais quente do mundo
Foto: (reprodução/internet)

Os autores desses estudos mostraram a combinação de calor e umidade, que podem trazer eventos meteorológicos. Logo, eles acontecem de modo mais comum em países como Índia, Bangladesh e Paquistão, além de Austrália e México.

Além desses locais indicados acima, essas leituras cientificas também se chegaram até Arábia Saudita, Catar e Emirados Árabes Unidos. E entre os lugares mais quentes ainda anotaram: China, África, Caribe, Estados Unidos, entre outros.

Os lugares do mundo com calor “insuportável”

Apesar desses dados, considere que nem todos os lugares mencionados no estudo são “insuportáveis” para se viver. Por isso, outras listas foram criadas, agora falando as áreas de maior risco a partir do calor. E nessa lista entram: próximos de golfos e estreitos.

Entre tantos concorrentes, muitos estudiosos dizem não ter dúvidas de que o Kuwait vai se tornar um país onde o calor poderá o tornar inabitável. Na lista ainda vem Dallol, na Etiópia, que sempre está no topo dos mais quentes do mundo. Assim como Al-Aziziyah, na Líbia.

Agora, para puxar o assunto para o próximo tópico, considere que em junho de 2021, a internet noticiou o fato de que uma onda de calor deixou mais de 100 mortos no Canadá. Se lembra? Isso foi em Lytton, lugar que ficou perto de 50ºª C. Mas, é possível morrer de calor?

O que é a hipertermia

Esse é um termo que indica a elevada manutenção das temperaturas do corpo humano ou de organismos vivos até que possam comprometer o que é vital. Por exemplo, o colapso. As causas podem ter relação com o ambiente externo, como a exposição ao sol, por exemplo.

Como sobreviver no lugar mais quente do mundo
Foto: (reprodução/internet)

Isso porque a temperatura humana normal fica próxima de 36,5º C. Se estiver acima de 40º C, já é considerado estado febril e indicar causas de morte. Se exceder 43ºC, por exemplo, o quadro já leva o indivíduo a uma necessidade de atendimento médico. 

Quando o corpo está com temperatura elevada, isso traz o comprometimento de ações das enzinas e de proteínas. Logo, o calor excessivo pode impactar de maneira muito grave órgãos como cérebro, coração, intestinos, fígado, rins, pulmões e até mesmo o pâncreas.

A explicação para morrer de calor

Se ficou claro que é possível morrer de calor, leve em conta que a explicação é a seguinte: altas temperaturas levam a redução da pressão sanguínea. Com a queda da pressão, a pessoa sua mais e perda mais líquido. Logo, dá sensações como de moleza, tontura, falta de ar, etc.

Por isso, também é comum que se sinta câimbras ou alergias, além da pele ficar seca e quente. Então, considere agora um último dado, da Administração Nacional de Oceanos e Atmosfera, que diz que cerca de 200 pessoas morrem por ano devido ao calor.

Tem mortes por calor no Brasil?

Mais de 350 mil pessoas morreram por fatores relacionados ao calor em 2019. Isso não quer dizer que morreram de calor, mas sim dos efeitos das temperaturas extremas e altas. Os óbitos significam aumentos de 30% a cada ano, conforme os últimos estudos.

No Brasil, ainda não se tem um dado certo ou oficial sobre essas mortes por calor. No entanto, periodicamente notícias são feitas a partir de estudos que predizem sobre isso. Em 2010, por exemplo, a Agência Estados anunciou 24 mortes na baixada santistas por esses motivos.

ANÚNCIO