Comércio da China tem aumento mesmo com retração mundial

A China foi o primeiro país a registrar o número de casos de Covid-19, após meses de busca pela sua recuperação econômica, o país tem se encontrado em um ritmo acelerado de crescimento no comércio, surpreendendo as expectativas do mundo todo. 

A retomada no crescimento da China engloba uma série de fatores, como o impulsionamento no aumento da demanda internacional por eletrônicos, materiais tecnológicos, aparelhos médicos e têxteis, como também equipamentos de proteção individual.

Em comparação com outros países e grandes potências mundiais, como Japão e Estados Unidos, a retração tem sido grande. A economia japonesa sofreu o maior encolhimento de seu PIB já registrado devido a queda nas exportações, enquanto os EUA notificou sua maior contração em décadas. 

Comércio da China tem aumento mesmo com retração mundial
Fonte: (Reprodução/Internet) 

China esta no quarto mês de alta

Era esperado que a maioria das grandes economias sofressem uma grande retração por conta do isolamento social e da contenção de gastos das populações. No entanto, o que a China vem mostrando é um aumento em suas exportações e importações. 

Segundo dados oficiais do país, em setembro as exportações chinesas aumentaram 9,9% em comparação com o mesmo mês em 2019. O mês foi o quarto seguido de alta, ao mesmo tempo em que as importações cresceram 13,2%, após uma queda de 2,1% no mês anterior. 

Recessão econômica e parcerias entre países

Mesmo apresentando dados satisfatórios e acima das expectativas, o Fundo Monetário Internacional (FMI) projetou possíveis previsões para a economia global, principalmente no que diz respeito ao crescimento interno e externo da China, se ele permanecerá ou sofrerá uma queda. 

As avaliações feitas pelo FMI são de que ainda há uma recessão profunda em todo o mundo, e o retorno promissor da economia chinesa não garante colaboração com a economia mundial. Isso, tendo em vista que todos os países foram afetados pela pandemia do coronavírus e as atividades econômicas em alguns países estão sendo mais difíceis e lentas. 

Sobretudo no que se refere às parcerias e acordos comerciais que uns têm com os outros, um exemplo é a colaboração comercial da China com a Associação das Nações do Sudeste Asiático, que conta com a participação da Malásia, Cingapura, União Europeia e Estados Unidos.