Relato do homem que escapou de tribo isolada que assassinou outro visitante

ANÚNCIO

O antropólogo da Índia, T N Pandit, concedeu entrevista à BBC e relatou como foi a experiência de visitar uma das tribos mais isoladas do mundo, a sentinela. Situados na Ilha Sentinela do Norte, os povos já assassinaram visitantes.

John Allen Chau, de 27 anos, foi um dos mortos pela comunidade. Segundo a imprensa local, o jovem foi um cristão que queria levar os seus ideias aos sentinelas. Entretanto, John foi recebido com ataques de arco e flecha. 

ANÚNCIO

Pandit visitou a ilha em uma expedição governamental em 1991, e passou por uma situação delicada. O antropólogo lamentou a morte do missionário, e lembrou que houve uma chance do mesmo se salvar.

Relato do homem que escapou de tribo isolada que assassinou outro visitante
Fonte: (Reprodução/Internet)

Antropólogo foi recebido por garoto com faca

Pandit levou em sua visita, panelas, cocos e ferramentas para otimização da vida selvagem, como facas e martelos. Ainda foi acompanhado de três rapazes de uma tribo local para que eles auxiliassem na interpretação da comunicação entre os sentinelas.

De primeiro momento, foram recebidos por rostos com expressões irritadas e além disso, por mão mãos armadas com arcos e flechas. Em alguns momentos, os povos viravam as costas e abaixavam como se fossem defecar. Ao entregar um porco vivo como presente, a tribo apenas o atacou com lança e o enterrou na areia.

ANÚNCIO

Pandit notou que não era bem-vindo quando se aproximou um pouco da praia, se afastando das pessoas com quem tinha vindo. Segundo ele, um garoto pegou uma faca e demonstrou que cortaria a cabeça de Pandit. Com isso, o antropólogo soube que era a hora de partir, e assim o fez.

Pandit conhece os riscos que ‘invasores’ exteriores sofrem

Pandit iniciou as suas atividades de pesquisa com a tribo, a partir de 1970, mas conseguiu aproximar-se em 91. Após notar que foram permitidos, os intelectuais entregaram todos os presentes dentro do mar, e não puderam adentrar a praia. Segundo o antropólogo, nunca foi sua preocupação algum ataque, mas ele sempre agiu com cuidado.

Javalis, plantas, mel, peixes e tubérculos alimentam certa de 50 a 150 pessoas que residem na Ilha Sentinela do Norte. A tribo é conhecida por utilizar o arco e flecha para pesca. Os sentinelas são conhecidos por defenderem as suas terras radicalmente.

Em 2006, dois pescadores foram assassinados pela comunidade. Quando as autoridades da Índia, país no qual a ilha é inserida, visitaram a tribo após um tsunami em 2004, um membro do grupo tentou derrubar o helicóptero governamental com uma flecha. Pandit concluiu a entrevista ao afirmar que o povo não procura atacar as pessoas.